Revista da Associação Médica Brasileira Revista da Associação Médica Brasileira
Rev Assoc Med Bras. 2013;59:589-93 - Vol. 59 Núm.06 DOI: 10.1016/j.ramb.2013.06.014

Estudo da relação entre enxaqueca primária e depressão em jovens da região sul do Brasil

Asdrubal Falavigna a,, Alisson Roberto Teles b, Gustavo Lisboa Braga c, Lucas Piccoli Conzatti c, Leonardo Gilmone Ruschel c, Pedro Guarise da Silva c

a Departmente of Neurology and Neurosurgery, Medical Faculty, Universidade de Caxias do Sul, Caxias do Sul, RS, Brazil
b Residence of Neurosurgery, Hospital São José, Santa Casa de Porto Alegre, Porto Alegre, RS, Brazil
c Multidisciplinary Academic League of Neurology and Neurosurgery, Universidade de Caxias do Sul, Caxias do Sul, RS, Brazil

Keywords

Headache. Depression. Disability. Migraine. Tension-type headache.

Resumo

Objetivo

Verificar a associação entre depressão e cefaleia em adultos jovens, assim como identificar as características da cefaleia relacionadas com depressão e a influência da depressão na incapacidade decorrente da cefaleia.

Métodos

Estudo transversal com questionários autoadministrados sobre cefaleia e depressão foi conduzido na Universidade de Caxias do Sul. O Inventário de Depressão de Beck (BDI) e o questionário de avaliação da incapacidade por enxaqueca (MIDAS) foram utilizados para avaliação dos sintomas depressivos e incapacidade, respectivamente. Depressão foi definida como BDI ≥ 15.

Resultados

Foram incluídos no estudo 1.013 adultos jovens. Observou-se uma clara relação entre cefaleia e depressão entre os participantes. Análises multivariadas demonstraram que náuseas ou vômitos relacionados à cefaleia e incapacidade decorrente da dor foram fatores independentes associados à depressão. Enxaqueca foi mais associada com depressão que os outros tipos de cefaleia.

Conclusão

Os resultados demonstram associação entre cefaleia e depressão. Sintomas depressivos são mais comuns em adultos jovens com cefaleias mais incapacitantes.