Revista da Associação Médica Brasileira Revista da Associação Médica Brasileira
Rev Assoc Med Bras. 2013;59:614-21 - Vol. 59 Núm.06 DOI: 10.1016/j.ramb.2013.06.016

Avaliação da adesão terapêutica em idosos atendidos na atenção primária

Antônio Augusto Schmitt Júnior a, Stéphanie Lindner a,, Ernani Tiaraju de Santa Helena a

a Universidade Regional de Blumenau, Blumenau, SC, Brasil

Resumo

Objetivo

Identificar a prevalência de não adesão à terapia medicamentosa dos idosos atendidos na atenção primária de Blumenau, SC, Brasil.

Métodos

Estudo epidemiológico observacional, seccional, de base populacional com amostra aleatória de usuários que compareceram às farmácias de 14 unidades de atenção primária à saúde e responderam o questionário com as variáveis de estudo. A prevalência de não adesão foi medida por meio de um questionário autorrelatado. A associação entre variáveis de estudo e não adesão foi estimada pelo odds ratio por meio de modelo de regressão logística.

Resultados

Dos 151 idosos entrevistados, 84,1% referiram utilizar medicação contínua. A média de idade foi de 69,04 anos. Com relação às características médico-assistenciais, a média de medicamentos utilizados foi de 4,3, e patologias do aparelho circulatório apareceu como destaque (43,3%) entre as doenças de base. A prevalência de não adesão foi de 35,4%. As variáveis “interrupção prévia por falta de medicamento” e “uso de medicamentos com prescrição inadequada” se mostraram associadas à não adesão (p < 0,005).

Conclusão

Os resultados reforçam a necessidade de melhorar as políticas públicas e os processos gerenciais que visem garantir o acesso da população aos medicamentos essenciais, bem como qualificar o processo de prescrição dos profissionais de saúde como forma de melhorar a adesão terapêutica em idosos.