Revista da Associação Médica Brasileira Revista da Associação Médica Brasileira
Rev Assoc Med Bras. 2013;59:186-98 - Vol. 59 Núm.02 DOI: 10.1016/j.ramb.2012.11.003

Perfil lipídico de pacientes infectados pelo HIV em relação à terapia antirretroviral: uma revisão

Suelen Jorge Souza a, Liania Alves Luzia a, Sigrid Sousa Santos b, Patrícia Helen Carvalho Rondó a,

a Nutrition Department, School of Public Health, Universidade de São Paulo (USP), Sao Paulo, SP, Brazil
b Department of Medicine, Center of Biological Sciences and Health, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, SP, Brazil

Keywords

Human Immunodeficiency Virus. Acquired Immunodeficiency Syndrome. Antiretroviral therapy. Highly active antiretroviral therapy. Dyslipidemia.

Resumo

Este estudo faz uma revisão sobre o perfil lipídico de pacientes com vírus da imunodeficiência humana/síndrome da imunodeficiência adquirida (HIV/AIDS) em relação ao uso da terapia antirretroviral (TARV), e suas diferentes classes de fármacos. Um total de 190 artigos publicados em revistas indexadas foram selecionados das bases de dados PubMed e LILACS; 88 deles preencheram os critérios de seleção e foram incluídos nesta revisão. Pacientes com HIV/AIDS sem uso de TARV apresentaram aumento de triglicérides e diminuição dos níveis de colesterol total, lipoproteína de baixa densidade (LDL-c) e lipoproteína de alta densidade (HDL-c). Distintos regimes de TARV promoveram diferentes alterações no metabolismo lipídico. Inibidores de protease, particularmente indinavir e lopinavir, foram comumente associados com hipercolesterolemia, aumento de LDL-c, diminuição de HDL-c e hipertrigliceridemia. O inibidor de protease atazanavir aparentemente está associado a menores alterações do perfil lipídico. Alguns inibidores da transcripitase reversa análogos de nucleosídeos (didanosina, estavudina e zidovudina), induziram lipoatrofia e hipertrigliceridemia, enquanto o abacavir aumentou o risco cardiovascular mesmo na ausência de aparentes distúrbios lipídicos, e o tenofovir resultou em menores níveis de colesterol e triglicérides. Embora os inibidores da transcriptase reversa não análogos de nucleosídeos possam predispor a hipertrigliceridemia e hipercolesterolemia, a nevirapina, particularmente, foi associada a maiores níveis de HDL-c, um fator de proteção contra doenças cardiovasculares. Portanto, a própria infecção, diferentes classes de fármacos e alguns fármacos da mesma classe de TARV podem exercer distintas alterações no metabolismo lipídico.

Política de cookies
x